Danny conta que sofria bullying na escola por tocar violão

Danny Jones concedeu uma entrevista ao iNews e acabou contando que sofria bullying na escola por tocar violão.
Ele também fala sobre o seu trabalho no The Voice Kids UK, sobre os projetos paralelos dos outros garotos da banda e, claro, sobre novas músicas do McFLY.

Confira a entrevista na íntegra e traduzida pela equipe do Wonderland:

Danny Jones do McFly: Eu sofri bullying na escola por tocar violão

Danny Jones - bullying na escola por tocar violão

Há paginas e mais páginas de letras embrionárias na seção de Notas do iPhone de Danny.
Eu sei disso pois metade do caminho da nossa entrevista, ele insistiu em me mostrar, acenando para que eu me juntasse a ele no seu lado da mesa e inclinando o seu celular para mim.

Ele lê alguma de suas letras, olhando toda hora para medir minhas reações. “É poesia, não é?” ele diz, após uma pausa. “Eu escrevo poesia todos os dias.”

Essa frase, dita sem uma gota de ironia, poderia soar facilmente como arrogância. De Jones, ela vem honesta e encantadora. E, em sua defesa, nós estávamos conversando sobre poesias.

Inspirando crianças

O cantor do McFly – que recentemente se tornou embaixador da ação Speakers for Schools, fazendo campanha para melhorar o ensino de artes nas escolas secundárias – me diz que desejava ter sabido o quão útil a poesia e um bom vocabulário seriam para a composição. Se ele soubesse, talvez teria se sentado um pouco mais ereto na sala.

Assim como encorajar as crianças a prestarem atenção nas matérias fundamentais, Jones também está pressionando para melhores aulas de músicas nas escolas, afirmando que crianças com talentos musicais e criativos devem ser inspiradas a “sonharem grande”.

Uma criança que deseja se tornar uma estrela do rock deve ser tão apoiada quanto uma criança que deseja se tornar médica, ele diz. “Há muito foco sobre matemática e ciências. Muitas coisas boas vêm das artes criativas e não creio que devemos perder isso como uma nação.”

Danny Jones - violão

Jones, que toca guitarra desde os seis anos, admite que se tivesse se fundamentado apenas nas aulas de música que tinha na escola, ele provavelmente não estaria trabalhando na indústria da música agora. “Para meu estágio, eu fiz marcenaria para o Conselho. Eu planejava cozinhas.”

Ele credita sua mãe trabalhadora, que pagou para que ele tivesse aulas particulares, pelo seu sucesso. “Quando eu tirava a guitarra e fazia uns barulhos, ela desligava a TV,” ele disse. “Eu sentia que ela queria me ouvir.”

Bullying por tocar violão

O cantor admite que tocar música não era considerado legal na sua escola. “Eu sofri bullying por isso”, ele diz com olhar incrédulo. “Cuspiam em mim. Quando eu andava, eu escondia meu violão.”

É difícil imaginar esse cena hoje. Jones – um pacote de energia tatuado, ainda cansado da viagem de LA – é um membro do grupo de pop-rock que inverteu o termo “boyband” de ponta cabeça (anteriormente sinônimo para bandas idênticas como Westlife).

McFly – composta por Jones, Tom Fletcher, Harry Judd e Dougie Poynter – formada em 2004, se tornou a banda mais jovem a conquistar um número um com seu álbum de estreia, Room On The 3rd Floor, um recorde pertencente anteriormente ao Beatles.

O quarteto logo se tornou conhecido por suas melodias bombantes e apresentações enérgicas. E, antes de você perguntar, sim, as guitarras sempre estiveram ligadas. “Eu levei cinco anos para aperfeiçoar o meu som da guitarra,” diz Jones, que admite que sempre foi lisonjeado quando alguém sugeria que ele pudesse estar fazendo mímica. “Deve ter sido bom.”

Nova música

McFly – cujo álbum mais recente, Above the Noise, foi lançado em 2010 – irá lançar música nova, Jones insiste. “Nós queremos fazer certo, então precisamos que nossos fãs tenham um pouco de paciência.”

A banda tem se mantido ocupada, no entanto. Eles fizeram uma turnê pela última vez como grupo em 2016, mas antes eles se uniram com os companheiros de música Busted, criando o McBusted de 2013 a 2015. “Este é na verdade os primeiros seis meses que tivemos de folga porque estivemos trabalhando desde que tínhamos 16 anos.”

Ele algum dia consideraria seguir solo? Ele reflete por um instante. “É uma área nebulosa. Eu posso lançar algumas músicas, mas não creio que algum dia seja, ‘Danny vai para carreira solo, a banda nunca mais irá se unir’.”

Mas deve ter havido momentos ao longo dos anos em que ele se preocupou que a banda pudesse se separar. “Ah, sim. Mas por nenhum momento pareceu que fosse o fim.” O segredo para o relacionamento bem sucedido, ele explica, é que eles dão espaço um ao outro.

Projetos diferentes

Jones sorri quando fala sobre os projetos dos seus colegas de banda: os romances de Fletcher, o livro fitness de Judd, e a carreira de atuação de Poynter. E Jones também está se aventurando em novos pastos. Neste verão, ele irá se unir a will.I.am e Pixie Lott como jurado do programa The Voice Kids do canal ITV – uma versão infantil do The Voice, dos 7 aos 14 anos.

Danny Jones The Voice Kids UK

O cantor admite que se impressionou com as crianças do programa. “Eu ainda estou chocado pelo nível de qualidade e emoção que elas trazem,” ele diz. “Elas ouvem. São como esponjas.”

Recusar alguma criança deve ter sido difícil. “A rejeição é terrível,” Jones concorda. “Eu sempre digo, ‘Eu vejo o que você acabou de fazer. Você será o cara mais legal do colégio porque você veio até aqui’.” E se isso não funcionar? “Elas ganham um abraço do Danny.”

Famoso

Mas as crianças só não querem ser famosas? O cantor me para por aí. “Eu não queria ser famoso. Eu só queria tocar no mesmo palco que o Springsteen.” É uma aspiração realizada, quando tocou no festival de verão do Hyde Park’s British Summer Time em 2014. (Springsteen tocou no festival em 2012.)

De repente ele fala como se fosse um garoto de seis anos de idade de novo, seguindo seus sonhos. Se tornou claro, nesse momento, porque ele estava ajudando outros jovens a seguirem os deles. É porque o dele se tornou real.

Danny Jones é técnico no “The Voice Kids”, que vai ao ar na ITV a partir de 10 de Junho. Ele também é embaixador neste verão pela Speaker for Schools.

Fonte: iNews

“And I’m dreaming so much, but I don’t ever wanna stop…”

26 anos, formada em Design Digital, cursando MBA em Gerenciamento de Projetos e trabalhando como Analista de Projetos em uma multinacional. Tem enorme paixão por música, livros, futebol e viajar ♡

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *